Conduta

Crianças com baixa tolerância à frustração

Crianças com baixa tolerância à frustração


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em primeiro lugar, é importante definir o que é frustração. A frustração é um sentimento que surge quando não podemos realizar nossos desejos. Nesses tipos de situações, a criança costuma reagir emocionalmente com expressões de raiva, ansiedade ou disforia, principalmente, embora também apresentem reações físicas (veremos tudo em detalhes mais adiante). São os crianças com baixa tolerância à frustração e, no caso deles, a origem do problema não está nas próprias situações externas, mas na maneira como a criança lida com elas, e aqui os pais têm muito trabalho a fazer.

É essencial ensinar nossos filhos a tolerar a frustração desde pequenos, a enfrentar aquelas situações em que não conseguem o que desejam, mesmo que isso signifique que de vez em quando vejamos nosso filho 'sofrer'. Mas esse sofrimento é temporário e muito pequeno se comparado ao que você pode sentir quando enfrenta o 'NÃO' "ou os problemas da vida sozinho e não tem ninguém para 'aliviar' você.

Durante a infância, as crianças pensam que o mundo gira em torno delas, que o mundo existe porque eles existem, são egocêntricos (é evolucionário), não sabem esperar (ainda não desenvolveram o conceito de tempo) e lhes é difícil pensar nos outros e nas suas necessidades.

Quando as crianças são pequenas, elas querem tudo e querem agora. Se não dermos a eles, eles choram, ficam com raiva, têm acessos de raiva, ou seja, ficam frustrados por não realizarem seus desejos.

Em geral, as crianças que não conseguem lidar positivamente com a frustração têm um perfil e características aproximadas:

- São crianças exigentes e exigentes.

- Procuram satisfazer suas necessidades imediatamente, por isso, ao se depararem com a espera ou postergando suas necessidades, costumam apresentar acessos de raiva e choro fácil.

- É difícil para eles controlar as emoções.

- Mais impulsivo e impaciente.

- Eles podem desenvolver problemas de ansiedade com mais facilidade do que outras crianças.

- Não são muito flexíveis e têm dificuldade em se adaptar a situações novas ou não esperadas.

Quando a criança não consegue ou não sabe como lidar com a frustração, ela se acumula e outros sentimentos aparecem como raiva, raiva ou raiva. Sinta a vontade de atacar, cruzar o obstáculo e até escapar. Cada criança e cada pessoa reage de maneira diferente a esta situação, mas poderíamos estabelecer quatro:

- Agressão física ou psicológica. Infelizmente, aqui devemos falar de crianças que se machucam ou que expressam sua agressividade com os pais.

- Resignação ou apatia. Pensamentos negativos lotam a cabeça de crianças. O pequeno repete constantemente frases como 'Não consigo fazer nada' ou 'Perdi'.

- Escapar. Essa é uma reação mais típica de adolescentes que, por não suportarem a situação, se afastam dela.

- Conversão. A tensão que a criança carrega dentro de si pode causar dor física ou fadiga e cansaço.

É preciso ficar claro que nenhuma dessas reações resolverá o problema, podem até agravá-lo, reconheçamos as emoções e aprendamos a canalizá-las para que suas consequências sejam as melhores possíveis.

Você aprende a lidar e tolerar a frustração desde cedo, e depende muito do que os pais fazem.

Quando uma criança tem baixa tolerância à frustração, isso se deve em parte ao aprendizado que ela teve e em parte ao seu caráter. É por isso que é essencial deixar claro, como pais, que a frustração é um "mal necessário" e que os filhos precisam saber como administrá-la.

Se a criança sempre ou quase sempre consegue o que quer quando pede, ou depois de um acesso de raiva consegue o que queria ou se livra do que não queria, ou se evitamos qualquer tipo de sofrimento, (porque lamentamos vê-lo passar um mau momento, porque não queremos que ele sofra, ou porque ele não o ouve mais ...) não o ensinamos a controlar suas emoções e muito menos seus comportamentos.

Por isto é essencial ensinar as crianças a tolerar a frustração desde tenra idade E para isso, os pais devem ser claros sobre uma série de diretrizes:

- As regras e limites são fundamentais e devem ser cumpridos com calma, mas com firmeza.

- O NÃO, mesmo que frustre os mais pequenos, é necessário.

- Aprenda a lidar com os acessos de raiva quando eles ocorrerem, e não ceda a eles.

- Deixe bem claro que a frustração é inevitável na vida, e se as crianças não aprenderem a lidar e aceitar isso, na vida adulta vai custar muito mais.

Se descobrirmos que nosso filho é uma criança com Baixa tolerância à frustraçãoComo pais podemos redirecionar essa situação, podemos reeducar a criança para que aos poucos ela aprenda a lidar com ela.

- Primeiro devemos analisar o que levou a esta situação, (Regras e limites pouco claros? Personagem?) E comece a mudar o que for necessário.

- Ajude a criança a diferencie entre seus desejos e necessidades, ajudando você a entender que nem sempre você pode ter o que deseja, quando deseja.

- Ensine-o a tolerar atrasar o reforço ou conseguir o que deseja. Se ele me pedir algo, não dê imediatamente, mas quando eu puder ou eu, como adulto, considerarmos apropriado e explicar quando ele terá, ou por que ele não terá.

- Quando a criança fica frustrada, ajudá-lo a entender o que está errado. De onde vem sua tristeza ou raiva e o que acontece com você em palavras.

- Estabelecer e definir regras, limites e rotinas claras e de acordo com a idade das crianças.

No caso de a situação nos assolar, procurar um profissional para nos orientar e orientar é sempre a melhor opção que os pais podem considerar. Isso nos ajudará a analisar a situação e também nos ajudará no processo.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Crianças com baixa tolerância à frustração, na categoria de Conduta no local.


Vídeo: Infância. Ivan Capelatto (Outubro 2022).