Valores

Como aplicar limites para crianças

Como aplicar limites para crianças



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Para educar nossos filhos de forma eficaz, devemos estabelecer as regras em casa a fim de cumpri-las. O segredo é fazer isso de forma consistente e firme. Uma das consequências educacionais da falta de habilidade em estabelecer padrões e limites pode ser falta de respeito, que ocorre quando falamos demais, exageramos na emoção e, em muitos casos, cometemos erros em nossa maneira de expressar claramente o que queremos ou o fazemos com muita autoridade.

Quando precisamos dizer aos nossos filhos que devem fazer alguma coisa e "agora" (pegar os brinquedos, ir para a cama, etc.), devemos levar em consideração algumas dicas básicas:

1. Objetividade. É comum ouvirmos em nós mesmos e em outros pais expressões como 'seja bom', 'seja legal' ou 'não faça isso'. Nossos filhos vão nos entender melhor se marcarmos nossas regras de uma forma mais concreta. Um limite bem especificado com frases curtas e comandos precisos geralmente é claro para uma criança. 'Fale suavemente em uma biblioteca'; 'pegue minha mão para atravessar a rua' são alguns exemplos de maneiras que podem aumentar substancialmente a relação de cumplicidade com seu filho.

2. Escolhas. Em muitos casos, podemos dar a nossos filhos uma oportunidade limitada de decidir como cumprir suas ordens. A liberdade de oportunidade dá à criança uma sensação de poder e controle, reduzindo a resistência. Por exemplo: 'É hora do banho. Você quer tomar banho ou prefere tomar banho? ' 'É hora de se vestir. Você quer escolher um terno ou eu? ' Esta é uma maneira mais fácil e rápida de dê duas opções para uma criança fazer exatamente o que nós queremos.

3. Firmeza. Em questões realmente importantes, quando há resistência à obediência, nós precisamos aplicar o limite com firmeza. Por exemplo: 'Vá para o seu quarto agora' ou 'Pare! Os brinquedos não devem ser jogados fora' são alguns exemplos disso. Os limites firmes são mais bem aplicados com um tom de voz confiante, sem gritos e uma cara séria. Os limites mais suaves significam que a criança tem a opção de obedecer ou não. Exemplos de pequenos limites: 'Por que você não tira os brinquedos daqui?'; 'Você deve fazer sua lição de casa agora'; 'Venha para casa agora, ok?' Esses limites são apropriados para quando você deseja que a criança siga um determinado caminho. De qualquer forma, para aquelas poucas obrigações 'devem ser cumpridas', você será o melhor cúmplice de seu filho se aplicar um mandato forte. A firmeza está entre a luz e o autoritário.

4. Acentue o positivo. As crianças são mais receptivas a fazer o que lhes é dito para fazer quando recebem reforço positivo. Algumas represálias diretas, como "não", dizem a uma criança que seu desempenho é inaceitável, mas não explicam qual comportamento é apropriado. Em geral, é melhor dizer a uma criança o que fazer ('fale baixinho') antes do que não fazer ('Não grite'). Pais autoritários tendem a dar mais ordens e dizer "não", enquanto outros tendem a mudar as ordens de frases claras que começam com o verbo "fazer".

5. Manter distâncias. Quando dizemos 'Quero que você vá para a cama agora', estamos criando uma luta pessoal pelo poder com nossos filhos. Uma boa estratégia é registrar a regra de forma impessoal. Por exemplo: 'São 8 horas, hora de dormir' e você mostra a ele o relógio. Nesse caso, alguns conflitos e sentimentos serão entre a criança e o relógio.

6. Explique porque. Quando uma criança entende o motivo de uma regra como uma forma de prevenir situações perigosas para si mesma e para os outros, ela se sentirá mais encorajada a obedecê-la. Assim, o melhor quando se aplica um limite é explicar à criança por que ela deve obedecer. Ao compreender a razão, as crianças podem desenvolver valores internos de conduta ou comportamento e criar sua própria consciência. Antes de dar uma explicação longa que pode distrair as crianças, explique o motivo em poucas palavras. Por exemplo: 'Não morda as pessoas. Isso vai machucá-los. '

7. Sugira uma alternativa. Sempre que você aplica um limite ao comportamento de uma criança, tente indicar uma alternativa aceitável. Soará menos negativo e seu filho se sentirá compensado. Desta forma, você pode dizer, 'esse é o meu batom e não é para jogar. Aqui está um lápis e papel para pintar. ' Ao oferecer alternativas, você está ensinando que seus sentimentos e desejos são aceitáveis. Esta é uma forma de expressão mais correta.

8. Firmeza em conformidade. Uma regra pontual é essencial para uma implementação eficaz do limite. Uma rotina flexível (ir para a cama às 8h em uma noite, 8h30 na outra e 9h em outra) convida à resistência e torna-se impossível de cumprir. Rotinas e regras importantes na família devem ser eficazes dia após dia, mesmo se você estiver cansado ou indisposto. Se você der a seu filho a chance de torcer as regras, ele certamente tentará resistir.

9. Desaprovar o comportamento, não a criança. Deixe claro para seus filhos que sua desaprovação está relacionada ao comportamento deles e não diretamente a eles. Não mostre rejeição em relação às crianças. Antes de dizer 'você é mau', devemos dizer 'isso é mal feito' (desaprovação do comportamento).

10. Controlar emoções. Os pesquisadores apontam que, quando os pais estão muito zangados, eles punem mais seriamente e são mais propensos a abusar verbalmente e / ou fisicamente dos filhos. Há momentos em que precisamos nos acalmar e contar até dez antes de reagir. Diante do mau comportamento, é melhor contar calmamente por um minuto e depois perguntar com calma: 'O que aconteceu aqui?'

Você pode ler mais artigos semelhantes a Como aplicar limites para crianças, na categoria Limites - Disciplina in loco.


Vídeo: Criança sem fazer nada.. O que fazer? Montessori Sem Limites. Manhãs Sem Limites. Isa Minatel (Agosto 2022).